segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

" Poltrona 22 "




Meio dia em ponto!
Um vai e vem de rostos estranhos na estação,
Vou até a bilheteria a as compro o bilhete vinte e dois!
O último minuto...A partida, estou ao meio uma glomeração.

Na poltrona vinte e dois eu me aconchego,
Ao perceber do meu lado um lindo jovem rapaz,
Olhos da cor de mel, cabelos pretos enrolados
Pele branquinha em neves, o rosto sereno de paz.

A presentou-me meio conturbado apertamos as mãos!
Ao tocá-lo senti um estranho sentimento, um arrepio de amor,
Meus lábios queimavam fervoroso em busca dos seus!
Trêmula embevecida minha voz presa, minha boca secou.

Na primeira parada na estação, todos descem para um descanso,
Ficamos a sóis, beijamos com arrobo, fomos além... Extasiados
Cegos de amor arrancamos nossas vestes fomos ao ato final
Um vórtice de amor nos arrebata para os céus! Apaixonados.


                                                                MARIA MACHADO