sexta-feira, 16 de novembro de 2012

' Pássaro Ferido "



















Sai o expresso das nove* no primeiro Sol*
As janelas abertas* o vento predominando*
Alta estrada reluz o asfalto* que mais parece água,
Minha mente presa em ti* me dilacerando.

Cada curva* uma prece por sobrevivência*
Meu pensamento sombrio* coração desprotegido,
Nuvens negras por teu desprezo* que me desfalece*
Auzência de teu amor faz me sentir um pássaro ferido.

As horas passam num compasso impressionante!
Muitas milhas me separam do amor que me devora*
Celular não toca fora de área* desconectado*
Só meu coração preso em ti* ligado minutos e horas.

Minhas lágrimas caem molham a poltrona!
Sob olhares curiosos tento desfarçar minha dor*
Na bagagem a solidão que existe está por perto!
No peito fagulhas de um coração*despedaçado por amor.




                                                                                 Maria Machado