quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Sonho,aviso ou premonição?

Meu nome é Maria Machado
Moro em Salém no Pará
Tenho cinquenta e um anos
Sou uma senhora do lar
Toda riqueza que tenho
É minha familía e esse dom de rimar

Quando Deus me enviou
Com certeza,me deu essa destinação
Só estudaria a 3° serié do primário
Mas teria também essa missão
De escrever,romances e histórias reais
Como:Sonho,aviso ou premonição?

Sonho ou premonição
Aviso,até hoje eu não sei
Tudo que aconteceu
Igualzinho o que sonhei
Vou contar a história
De tudo que eu passei

Meu esposo trabalhava
Em um velho caminhão
Puxando madeira em toras
Em um projeto de exploraçao
Assim ele nos sustentava
Deus lhe dera essa missão

No final do mês de maio 1999
Ele continuava a explorar
Como sempre de costume
Parava para almoçar
Embaixo de uma castanheira
Resolveu o velho carro estacionar

Desceu do carro e caminhou
Para fazer sua refeiçao
Com dois metros que ele andou
Sentiu tremer o chão
Nesse instante a castanheira
Caiu emcima do caminhão

Em uma questão de segundos
Do carro ele havia saido
Se demora um só minuto
Ele teria morrido
Porque o carro entrou na terra
Totalmente destruído

Quase um metro sobre o chão
Ocarro foi enterrado
Só com os pneus traseiros para fora
O restante todo achatado
A cabine virou sucata
O motor esmigalhado

Era o fim dos seus sonhos
O caminhão não mais teria
Só lhe restava sucatas
E uma velha carroceria
Mas Deus poupou sua vida
Na tarde daquele dia

Ao sentir sua afliçao
Falei pra ele se conformar
Importante era ele estar vivo
E pior não iria ficar
Enquanto Deus fosse por nós
Nada iria nos faltar

Deus lhe mandou o aviso
Que era para ele parar
Mas ele não entendeu
Resolveu continuar
Se endividou com outro carro
E começou a trabalhar

Domingo sete de agosto
Comemoramos o dia dos pais
Ele amável com os três filhos
Agente brincou de mais
Mas estávamos preocupado
Com as notícias dos jornais

Os jornais anunciavam
Que o mundo iria se acabar
Na quarta-feira dia onse de agosto
Era pra todos se preparar
Mas segunda dia oito
Ele tinha que viajar

dia oito antes dele  sair
Eu comecei a brincar
Como que vamos fazer
Se o mundo se acabar?
Tu morre lá,eu morro aqui
Como vamos nos encontrar?

Ele respondeu sorrindo
Se for verdade,e o mundo se acabar
Agente dar um jeitinho
Em algum lugar se encontrar
Mas falou que era mentira
Que eu não fosse me preocupar

Abraçou e beijou sua familía
Antes dele viajar
Viajou com dois amigos
Que levou para caçar
Saiu na segunda-feira
Mas na sexta iria voltar

Quarta-feira amanheceu
Um lindo dia ensolarado
Até naquele momento
O mundo não tinha acabado
Acordei muito feliz
Ainda iria ver meu amado

Quinta a noite eu tive um sonho
Que me deixou assustada
Um sonho meio real
Que parecia que eu estava acordada
Premonição ou um aviso?
Fiquei muito agoniada

Sonhei descendo uma ladeira
Mas tinha outra para subir
Quando chegei entre as duas
Duas toras de madeira eu vi
Vinham pra mim esmagar
Não tinha pra onde eu fugir

Abismo para todos os lados
Como eu iria me salvar
De repente as duas toras se chocaram
Eu flutuei no ar
Nesse instante me acordei
E comecei a rezar

Aquele sonho horrivél
Ficou martelando a minha mente
Dava impressão que eu via
Aquelas toras em minha frente
Mas afinal foi um sonho
Que sonhamos normalmente

Amanheceu sexta-feira treze de agosto
Meus visinhos haviam voltado
Foram com ele para caçar
E nada tinham matado
Passou um deles em minha casa
E dele me trouxe um recado

Que ele chegaria a noite
Que eu guardasse seu jantar
Que preparei com muito carinho
Me arrumei pra lhe esperar
Mas com toda aquela demora
Resolvi ir me deitar

Fiz minhas orações
Sempre pedindo a Deus pra nos ajudar
Logo eu adormeci
Acordei por escutar
Alguém batendo na porta
Tentando me acordar

Penssei que ele havia chegado
Levantei fui olhar
Quando abro a porta que vejo
Minha cunhada a falar
O teu marido morreu
Nós viemos te buscar

Ao chegar no hospital
Foi tudo esclarecido
Me deram a triste notícia
Que ele havia morrido
Que calara sua voz
Pra junto de Deus havia partido

Naquele momento que eu a vi
Seu corpo na pedra fria estirado
Sentir que naquela hora
Meu mundo tinha acabado
Que o amor da minha vida
O pai dos céus tinha levado

Foram os dias mais tristes
Que tive na minha vida
Muitos amigos e visinhos
Toda família reunida
Mas me sentia sozinha
Sem ele estava perdida

Ele partiu para sempre
Mas suas sementes ele semeou
Três pedaços de sua vida
Comigo ele os deixou
Nossos filhos tão queridos
Que ele tanto os amou

Tudo aconteceu assim
Ele pegou uma carona pra vir enbora
Era um caminhão madeireiro
Com uma carrada de tora
O carro virou na estrada
E ele morreu na hora

No quilômetro oitenta e três
Trajeto Salém- jabuti
Ás noves horas da noite
Tudom aconteceu ali
Numa sexta-feira treze de agosto
Que meu amor eu perdi

Que Deus escreve o destino
Jamais eu vou duvidar
Só acontece conosco
O que Deus determinar
Seja qual for o destino
Teremos que aceitar

Sonho ou premoniçao?
Aviso,isso eu não sei
O acidente parecido
Com o sonho que sonhei
Por baixo de duas toras
Morre o homem que eu amei

Também aquela brincadeira
Antes dele viajar
Como nós vamos fazer
Se o mundo se acabar
Tu morre lá,eu aqui
Como vamos nos encontrar?

Hoje só resta saudades
Lembranças de um passado
Peços em minhas orações
Para ele ser perdoado
Que para junto de Deus
Jesus o tenha levado

Tudo quanto eu escrevi
Aconteceu foi real
Um pouquinho de uma história
De um homem especial
Que ainda vou contar o inicio
Por que esse foi o final...




                                                              Mariamachado: