sexta-feira, 5 de agosto de 2011

"Amazônia Hoje Chora"


Amazônia hoje chora
Sangra mãe natureza a dor
Soluça a floresta em agonia
O planeta terra arde em calor


Matas verdes desaparecem
Desmatada perdem o esplendor
Amazônia hoje chora
Sangra a mãe natureza a dor


Queimadas emudeceram
O canto dos passarinhos
Com a derrubada das árvores
Abandonaram seus ninhos


Refugiado de seu habitat
Por motivos covardes mesquinhos
Amazônia hoje chora
Saudades dos passarinhos


Árvores gigantes centenárias
Sem direito de viver
São arrancadas de seu ventre
Que faz,mãe terra tremer


Agoniza o solo fértil
Aves,animais extintos em teu ser
Amazônia hoje chora
Seu direito de viver


Amazônia sem defesa
Nas mãos dos destruidores
Nessa luta maquinas e homens
Saem sempre vencedores


Temos que protegê-los
Nossa floresta dos invasores
Amazônia hoje chora
Nas mãos dos destruidores


Homens nações evoluídas
Sem consciência,incompetente
Destrói seus próprios lares
Devastando o meio ambiente


Com o efeito do desmatamento
Buraco na camada de ozônio é crescente
Amazônia hoje chora
Com o poder do incompetente


Rios que de peixes,eram fartos
Matando a fome do pescador
Poluições e mal tratos
Virou sertão e secou


O nosso planeta azul
Poluído já mudou de cor
Amazônia hoje chora
A tristeza do pescador


Sem harmonia nas florestas
Sangra a mãe natureza de dor
O Irapúru que cantava alegre
Bateu azas,e não mas," cantou"


Ao ouvir o gemido das árvores
Cortadas pelo o serrador
Amazônia hoje sangra e chora
Geme a mãe natureza de "dor".


                                                                             Maria Machado