quinta-feira, 5 de setembro de 2013

"Vento Levou"




















Há como sinto falta de um só toque teu!
Minha pobre alma faminta grita por prazer,
Quisera só mais uma vez poder tocá-lo teus lábios
Deitar-me, sobre teu corpo lascivo e poder morrer.

Morrer desse amor que afoga e dilacera minha essência
Ocultando um pensamento, angustiante um desejo violento!
Desejo impregnado nas entranhas mais profundas de meu ser,
Que é trazê-lo de volta o meu amor, que foi levado pelo o vento.

N’um impetuoso momento, quebram-se as lágrimas ressecadas
Vejo do âmago à visão que me mostra o Campo-Santo onde jaz!
Escorre pelo os olhos, a terra que rasga, e sangra-me de dor!
Com a triste certeza, que não poderei ama-lo nunca mais.

Não! Não posso deter meu coração que às pressas te procura
Percorre o infinito em um pégaso veloz, na busca por teu amor
Gritando aos quatro ventos, sem nunca se esquecer de tua jura!
 Das tórridas promessas que fizera mais que o... “Vento levou”.




OBS: Imagem do Google                 Maria Machado