quinta-feira, 11 de abril de 2013

" Sonho Atroz"

Sou como um colibri triste
Em busca de necta na flor,
Sou vórtice que vaqueia
Em busca do teu amor.

Sou a dor da minha esperança,
Que traduz meu sonho atroz
Sou o âmago do meu sofrer
Que emudece minha voz.

Sou desalento da minh"alma
Sou sátira uma doce quimera,
Sou presente fusco e tosco,
Sou parámo sem primavera.

Sou meu passado plangente,
Sofrível mórbido desolado
Sou um eclipse lunar no sol,
Sou saudades de meu amado.



                          Maria Machado obs: Imagem do Google.