sexta-feira, 6 de julho de 2012

"Pedaço do Inferno"

Nasceu um estranho,e grande amor
Sob crepúsculo,uma chuva do inverno,
Com a ternura,e o perfume das rosas,
Com extrema certeza,que seria eterno,
O tempo passou e as transformou-se
Um terrivél pedaço do inferno.

Aquele amor incondicional,doce e terno
Que tinha o sabor da doçura do mel,
Veio o tempo mexeu com a fórmula
Ficou amargo,como o amargo do fel.
Morrera os sentimentos de amor,
Nascera o horrivél,sentimento cruel. 


Virou pedaço do inferno,o que antes era o céu,
Transformou-se em ódio,onde só floria amor,
Havia muitas alegrias,recheadas de amor e paz,
Hoje está cheio de angústias e tristezas,e muita dor,
Cacos e cacos de uma vida,aderiva sem colagem,
Um mundo caído,e solitário, de um coração sofredor.


A palavra "amor"fugitiva foge junto a ventania
Que as leva ao parámo,sem nem uma direção,
Aí vem a saudade,que só machuca e confundem
Fazendo uma grande e desleal,devastação,
Roubando as lembranças eterna de uma vida
Que trancara com segredo absoluto,
A recôndita porta do meu coração.



                       Maria Machado: