quarta-feira, 6 de junho de 2012

"Fome de Amor"

Passei a sonhar, como se hoje fosse dar meu último
Suspiro...Como sempre deixei me levar pelo a iluzão,
De pensar que tudo era mágico,tudo era perfeito,
Mas que um sonho feito a dois,sem destinação.

Quando me desperto sobre meus deliríos e lamentos,
Sinto-me no auge de um momento de extremo terror,
Tudo inacabado,sem destino,sem tempo,nada impondo!
Simplesmente ensandecida,com fome de amor.

Agarro-me com um pouco que me resta de esperança,
Seria do jeito nebuloso,sem sandice,tornaria real?
Sem mistério? Apenas um pequeno gesto de amor,
Sem mesquinhez,teria nosso romance,um belo final?

Como por acaso vejo faço de conta que não existo,
Tudo sem alcance das minhas mãos,tudo intocável?
Restando só as palavras que as ferem meu coração,
Mas não matam a sede que transborda incurável.

Cada sol que nasce que faz brilhar todos os amanhãs,
Entre o céu e a terra juras eternas me fizeram sonhar,
Tão pouco me desse teu amor,escondestes de mim,
Deixaste-me só profundamente com fome de amar.







                                                         Maria Machado: